ÁREA DO ASSOCIADO SEJA SÓCIO

Feliz Idade

Atividades aquáticas no inverno

Publicado em 28 de junho de 2018


No inverno as atividades aquáticas costumam ser deixadas de lado, seja pelo medo de se resfriar ou de entrar em crises asmáticas.
Ao contrário do que muitos pensam, a natação e a hidroginástica beneficiam muito na época do inverno.

Confira alguns destes benefícios:

Faz bem para a saúde: Traz imunidade a doenças respiratórias; resistência a alergias; desenvolvimento e sobrevivência aquática, manutenção do apetite e do sono.

Faz bem para o coração: As propriedades físicas do meio líquido, como o empuxo e a pressão hidrostática associados a natação e hidroginástica fortalecem o coração e diminuem a incidência de doenças cardiovasculares, pois além de dilatar as artérias e facilita a circulação sanguínea, favorecendo as trocas gasosas.

Faz bem para o pulmão: Exercícios de braço, tronco e pernas, coordenados e associados a respiração e as propriedades físicas do meio líquido fortalecem a musculatura do tórax, aumentam a capacidade e a elasticidade pulmonar, facilitam as trocas gasosas e ampliam a absorção de oxigênio pelo organismo.

Além disso, algumas dicas também são importantes:
- Use roupão ou uma toalha ao sair da piscina;
- Seque principalmente cabeça e ouvidos;
- Use roupas quentes ao sair do banho;
- Espere em um ambiente misto antes de sair na rua.

Siga todas as dicas e não abandone as atividades aquáticas. Aqui no clube, temos piscina aquecida durante todo o inverno.

Vanessa Niehues
CREF 020244-G/SC
Professora de natação e hidroginástica

Musculação na prevenção e tratamento da doença de Alzheimer

Publicado em 20 de junho de 2018

O mal de Alzheimer – doença conhecida por causar a perda da memória – tem sido mais comum entre os brasileiros por conta do aumento da expectativa de vida. Segundo o IBGE, estima-se que existem 1,2 milhões de pacientes diagnosticados com a doença, com cerca de 100 mil novos casos por ano.

Uma das consequências do envelhecimento, é a diminuição da função cognitiva, que tem como características a falta de atenção, perda da memória e dificuldade de aprendizagem.

Estudos recentes mostram que a prática de atividade física de forma regular está associada a uma evolução mais lenta da doença. Entre as mais indicadas está a musculação, por provocar um aumento da atividade cerebral dos praticantes. A interação entre cérebro e músculos aumenta o tônus muscular e promove a melhoria das funções cognitivas, estimulando regiões cerebrais envolvidas na memória.

Alcides Egon de Oliveira
Professor de Musculação da ADHering
CREF 020200 G/SC



Pilates para mulheres após os 40

Publicado em 13 de junho de 2018

Não é novidade para ninguém que com o passar dos anos o organismo vai ficando mais lento. Perdemos um pouco da flexibilidade, perdemos libido, demoramos mais para emagrecer, o “mau jeito” aparece mais vezes em nossa rotina, o metabolismo já não ajuda como nos 20 anos. É comum e absolutamente normal. Sabendo disso, fica claro que depende de nós aprender como lidar com essas pequenas dificuldades. E isso, nada tem a ver com a palavra envelhecimento!

Primeiro, uma boa alimentação é fundamental, com aquelas dicas que conhecemos bem: abusar de frutas e legumes, evitar frituras e gorduras, beber muita água, dispensar sempre que possível o refrigerante, escolher sucos naturais. Outra decisão importante (e inteligente!) para ajudar o organismo a continuar trabalhando bem é praticar exercícios. E, entre a infinidade de exercícios que podemos fazer, o pilates tem se mostrado um tremendo amigo das mulheres, especialmente a partir dos 40 anos de idade, que é quando se inicia a perda de massa muscular.



É interessante saber que o Pilates não é entendido somente como simples exercício físico, mas também como um método de reabilitação do condicionamento físico, que promove o desenvolvimento equilibrado entre corpo e mente. Por isso, os exercícios foram desenvolvidos para exigir dos praticantes muita concentração e disciplina. O mais bacana é que os exercícios de Pilates trabalham tudo aquilo que a gente realmente precisa! Fortalecimento, alongamento e conhecimento incrível do corpo, descobrindo músculos que nem sabíamos que existiam. 

Joseph Pilates, o homem que desenvolveu o método, definiu que o mesmo seria baseado em seis princípios, sendo eles: respiração, concentração, controle, precisão, fluidez e centralização.
O melhor do Pilates para a sua vida é:
  • Desenvolvimento e aumento da capacidade respiratória e vascular; assim como o condicionamento físico;
  • Diminui tensões;
  • Proporciona resultados rápidos para maior flexibilidade e força muscular no corpo;
  • Melhora postura corporal;
  • Fortalece a musculatura abdominal e da coluna aliviando dores;
  • Aumenta o equilíbrio.
Depois de todos os benefícios da lista acima você não pode continuar aí parada! Procure-nos! Venha fazer uma aula experimental!

Flávia R. Koehler
Professora de Pilates da ADHering
CREF 018256-G/SC

Atividade física, um santo remédio ao hipertenso!

Publicado em 05 de junho de 2018

Passam-se horas, dias, semanas, meses e anos e assim segue o crescimento de uma doença silenciosa, extremamente perigosa. Estamos falando da HIPERTENSÃO.

Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, a doença causa 300 mil mortes por ano, sendo responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal. Acredita-se que existam no Brasil mais de 30 milhões de hipertensos. Pasmem! Segundo o Ministério da Saúde, apenas 10% fazem o controle adequado.

Além de ser considerada a doença de maior prevalência na população brasileira é a principal causa de morte no Brasil. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia aponta que a hipertensão, ou pressão alta, é quando a pressão arterial, após ser medida por diversas vezes, é igual ou superior a 14 por 9 (140 mmHg) por (90 mmHg). Diversos estudos científicos têm demonstrado que a pressão arterial se torna mais grave quando associada a fatores de risco, dentre eles, podemos citar o aumento do peso relacionado a um elevado percentual de gordura ‘obesidade ou sobre-peso”.



Mas como reverter ou estabilizar o desenvolvimento dessa doença?

Primeiro, recomenda-se procurar um cardiologista, realizar os devidos exames e estabelecer qual será o tratamento a ser seguido. Posteriormente, seguir os cuidados na alimentação e evitar excesso de sal na comida. O ideal é ter o auxílio de um nutricionista. Além disso, o exercício físico é um grande aliado no tratamento de pacientes hipertensos, pois reduz a pressão arterial e os fatores de risco cardiovasculares, diminuindo a morbimortalidade.

Você deve estar se perguntando: “Mas qual atividade física devo fazer?”

Aquela atividade física que você tem mais afinidade!
Geralmente é o exercício aeróbico (caminhada). Por quê? Ela é mais prática e fácil, basta um tênis uma roupa esportiva e uma dose alta de boa vontade. Um dos resultados imediatos com a prática regular da caminhada de baixa intensidade é a redução da pressão arterial sistólica/diastólica em – 6,9/- 4,9 mmHg em média.
Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, esses resultados foram adquiridos com treinamento aeróbico composto por sessões de pelo menos 30 minutos, realizadas com uma frequência semanal mínima de 3 vezes e com intensidade leve. Para se obter melhores resultados, o volume semanal deve ser aumentado, ampliando-se a duração para 50 a 60 min e/ou a frequência semanal para 5 sessões/semanais.

Vale lembrar que este programa aeróbico é apenas um indicativo geral para a prescrição de exercícios físicos a indivíduos hipertensos, pois é essencial complementar com uma atividade física individualizada como o treinamento resistido com peso (MUSCULAÇÃO). Ou seja, essas duas atividades físicas se completam.

Como dito acima, a musculação é uma atividade muito importante para o aluno hipertenso. Destaco aqui um interessante estudo da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Treino de força reduz pressão arterial em hipertensos”. A pesquisa revelou que Portadores de hipertensão que realizaram treinamento de força (musculação) conseguiram reduzir a pressão arterial a níveis semelhantes aos obtidos por meio de medicamentos. O estudo comprova que o treino de força é seguro para os hipertensos, desde que com acompanhamento de profissionais de Educação Física. O trabalho também mostrou que a redução da pressão permanece por até quatro semanas após a interrupção do treinamento. Por tanto essa atividade é extremamente importante no desenvolvimento de uma melhora na qualidade de vida do hipertenso.

Aqui no clube, temos um bom exemplo de superação, melhora de qualidade de vida e saúde, o caso do associado Sr. Oscar Dalfovo. Em 4 anos de treinamento resistido com peso alinhado com trabalho aeróbico obtivemos os seguintes resultados.
 
  Junho 2014 Junho 2018
Massa corporal 120,0 Kg 90,0 Kg
  Junho 2014 Junho 2018
Pressão Arterial 150 mmHg por 90 mmHg 120 mmHg por 80 mmHg

Depoimento do Sr. Oscar (59 anos, aluno de musculação há 4 anos):
“Procurei a prática esportiva por indicação do médico cardiologista após os resultados dos meus exames, os mesmos apresentavam quase todos fora do padrão, acima do limite e, principalmente, o colesterol e a pressão arterial que  estava extremamente alterada. Não conseguia correr, caminhava pouco tempo e já me sentia cansado e ofegante. Através das orientações dos professores Alexandre Walter e Jailton Bonelli, iniciei fazendo caminhada e musculação. Segui 100% os treinamentos elaborados por eles e os devidos cuidados na alimentação. Ano passado, 2017, agregamos ao meu planejamento o circuito metabólico realizado todas as sextas-feiras. Através desses 4 anos de treinamento e acompanhamento obtive uma grande melhora em minha qualidade de vida. Hoje com 59 anos não faço mais uso da minha medicação “sinvastatina” para hipertensão a qual utilizei por 7 anos (2010 a 2017). Me sinto outra pessoa! Agradeço imensamente o comprometimento de ambos com a minha pessoa. Vocês foram fundamentais em minha mudança.”


 
Por tanto, a atividade física com orientação somente tem a somar no proposto de desenvolvimento ao fator qualidade de vida ao hipertenso. Calce seu tênis, separe sua roupa de ginástica e venha treinar conosco!

Alexandre Walter
Professor de Musculação da ADHering
CREF SC-010432

 

Osteoporose e Atividade Física

Publicado em 30 de maio de 2018

Com o aumento da expectativa de vida, se manter ativo e independente é uma das preocupações após os 40 anos.No decorrer do envelhecimento diversos processos fisiológicos diminuem e ambos os sexos ficam pré-dispostos a diversas doenças, causando prejuízo na autonomia diária e, consequentemente, na qualidade de vida. Um desses processos é o desenvolvimento da osteoporose, sendo uma doença óssea que atinge em maior parte mulheres após a menopausa e está ligada a concentração de hormônios no organismo. Caracterizada pela diminuição da massa óssea do corpo, deixando os ossos porosos e fracos, além de causar redução da força muscular e da percepção motora aumentando a probabilidade de ocorrerem fraturas, podendo ser causadas por quedas, ou até mesmo, por movimentos corporais simples, como se curvar para pegar algo no chão.

Fatores de risco:
> Histórico familiar;
> Sexo feminino;
> Sedentarismo;
> Idade avançada;
> Etnia branca ou asiática;
> Menopausa após 45 anos;
> Consumo excessivo de álcool;
> Fumo;
> Falta de exposição ao sol.


A osteoporose é uma doença silenciosa e com todas essas alterações físicas e emocionais torna-se cada vez mais necessário o desenvolvimento de tratamentos que visem reduzir as consequências trazidas por ela, por isso manter hábitos e estilo de vida saudáveis é essencial para prevenção e tratamento dessa doença, exercícios físicos com sobrecarga ou que causam impacto suficiente para ocorrer estímulo e aumento de cálcio nos ossos como a musculação, corrida, ginástica e esportes, proporcionam aumento da massa óssea e muscular, melhora da mobilidade e flexibilidade, tendo um papel importante na prevenção e no tratamento, permitindo maior independência nas atividades da vida diária, além de proporcionar liberação de hormônios do bem estar.
 
O ideal para pessoas já diagnosticadas que iniciam algum treinamento físico é começar com exercícios leves para que ocorra adaptação neural e musculoesquelética, de 2 a 3 vezes por semana, podendo aumentar gradativamente a intensidade dos exercícios.
Procure sempre um profissional da área para lhe orientar na escolha da atividade que melhor irá se adequar ao seu condicionamento físico.
 
GRAZI ROCHA
Professora de Musculação da ADHering
CREF 020768-G/SC

Pilates para homens de meia idade?

Publicado em 23 de maio de 2018

Uma das principais deficiências masculinas quando o assunto é exercício físico é a pouca ou nenhuma flexibilidade de seus músculos.


O Pilates atua no ganho e melhora dessa elasticidade, uma vez que promove o alongamento global da musculatura visando sua manutenção, ganho de amplitude e qualidade de movimento.

Com a prática da atividade, a musculatura abdominal ganha força e fica mais definida, o que é base para que todas as outras atividades físicas sejam bem sucedidas, melhorando o desempenho em modalidades como corrida, futebol ou natação, ou ainda, que estejam sentindo as desvantagens da má postura no trabalho.

O Pilates contribui para o desenvolvimento da conscientização corporal. O indicado é praticar a atividade pelo menos duas vezes por semana de forma consistente, obedecendo aos limites do corpo.

Com todos esses benefícios não há porque você, homem, não procurar essa atividade que vem crescendo e mudando a vida de tantas pessoas de ambos os sexos, trazendo melhora na disposição e qualidade de vida.

Nadir Zanghelini Cé
Professora de Pilates
CREF SC-000451
 


Natação: uma atividade para todos!

Publicado em 16 de maio de 2018

A natação é uma atividade famosa por ser considerada completa, pois não causa impacto nas articulações e trabalha todo o corpo.

Muitas pessoas tem a ideia de que o aprendizado deve ser feito na infância, mas aí está o engano. Adultos após os 40 anos também aprendem a nadar e podem desfrutar dessa atividade que, além de benéfica a saúde, é muito prazerosa.


A atividade é indicada para quem tem problemas respiratórios. A posição horizontal do corpo produz menos resistência nas vias aéreas mantendo a função pulmonar, aumentando a capacidade aeróbica e proporcionando mais qualidade de vida.

Para quem possui algum problema na coluna, a natação também é indicada, pois a força gravitacional e o stress mecânico do sistema músculo esquelético diminuem, relaxando a coluna.

Outros benefícios da natação são: desenvolvimento da coordenação motora, força muscular, equilíbrio, mobilidade articular, efeito diurético, melhora da elasticidade do tórax, aumento do volume de ar corrente nos pulmões, fortalecimento do sistema cardíaco/respiratório e alterações na composição corporal.

Muitos são os benefícios para os praticantes de natação, mas ter uma qualidade de vida a longo prazo é o maior de todos. Se você ainda não conhece a modalidade, faça uma aula experimental.

Débora Elisa Franke
CREF 15575-G/SC

Musculação após os 40

Publicado em 09 de maio de 2018

A tecnologia chegou, nossa vida mudou, os dias estão cheios de interações, somos multitarefa. Com os avanços tecnológicos, nossa expectativa de vida aumentou, mas e a qualidade desta vida? Temos acesso a informação por todos os lados, facilidades tecnológicas como cortadores de grama, aspiradores de pó e lava-jato facilitam a nossa rotina mas, consequentemente, ficamos mais sedentários. Dirigimos mais, pedalamos e caminhamos menos, desembalamos mais alimentos e descascamos menos comida de verdade. Estamos em tempos de longevidade sem qualidade de vida.

Pensamos que ter saúde é apenas a ausência de doenças, mas na realidade ter saúde representa ter a capacidade de manter e desenvolver todas as funções fisiológicas e biológicas naturais do ser humano.
A atividade física é uma das melhores alternativas quando o assunto é a saúde após os 40 anos. Não importa como, Mexa-se! Abandonar o estilo de vida sedentário é fundamental para obter uma vida saudável e independente. Bons hábitos alimentares aliados a uma vida mais ativa, com caminhadas e corridas, por exemplo, auxiliam na manutenção de bons níveis de triglicerídeos e colesterol.


Musculatura muito além da estética: Após os 30 anos, nosso metabolismo começa a ficar mais lento, uma das síndromes mais comuns é a sarcopenia, a perda de massa muscular. A falta de massa muscular pode desencadear outras doenças como artrites ou artroses, por exemplo, com a perda de massa muscular e força, muitos outros problemas podem surgir, uma lesão por esforço repetitivo, uma lesão na hora de uma prática de lazer como futebol ou corrida, por exemplo.

Atividades como a musculação promovem ganhos de massa muscular, aumento de força e resistência, que tornam a prática de outras atividades físicas de lazer, mais seguras e prazerosas. De tempo ao tempo: Um dos segredos para manter-se sempre apto, é a frequência! Com uma frequência de 2 a 3 vezes por semana, 45 a 60 minutos por dia, você já começa a ver os resultados! Em curto prazo (até 3 meses), são a melhora do sono, da frequência cardíaca em repouso, da sua resistência muscular e do sistema digestivo, proporcionando mais disposição para realizar as tarefas rotineiras.



Após 4 meses, a sua frequência cardíaca e pressão arterial já terão atingido melhoras consideráveis. Nos casos em que existiam tratamentos medicamentosos para hipertesão ou diabetes, por exemplo, recomenda-se uma nova consulta ao médico, talvez não sejam necessários tantos remédios assim. Após 6 meses, aliando dieta e treinamentos, os ganhos de força e resistência já são notáveis.
Nesta fase, é perceptível a melhora no rendimento de atividades de resistência como corridas, futebol, natação e ciclismo, carregar aquele seu neto ou sobrinho no colo vai ser moleza!
 
Peterson Rosa
Professor de Musculação  - CREF SC-019714

Você cuida do seu corpo como cuida do seu carro?

Publicado em 04 de maio de 2018

O corpo humano é uma máquina perfeita, mas como tal, precisa de alguns cuidados para que possa ir "mais longe". Vamos fazer uma analogia com um carro.
 
Se você deixar seu carro parado na garagem, ele enferruja , e quando você precisar a bateria vai estar arriada. Então você faz a manutenção constante, coloca o melhor combustível, controla o óleo, água do radiador, calibra os pneus, lava e encera. Em uma viagem longa, você faz paradas periódicas para não superaquecer o motor. Fica de olho nos buracos por causa da suspensão, revisa o motor aos 10mil, 20mil, 30mil, 40mil km e assim por diante.

Mas você já parou para pensar se cuida do seu corpo tanto quanto do seu carro?
Consome os melhores alimentos (combustível), toma água (radiador), cuida dos pés (pneus), das articulações (suspensão) e faz check up (revisão) regularmente? Preocupa-se com as paradas na longa viagem (sono)? Se você precisar correr atrás dos seus netos nos almoços de domingo da família ou daquele ônibus que você está prestes a perder, será que seu motor (coração) estará preparado?


Atividade física é uma espécie de motor que conduz o seu corpo (saúde), se você pratica alguma atividade física regularmente, você está preparado para qualquer situação do cotidiano, seu coração estará mais forte, seu corpo mais disposto e seu humor mais alegre.

Mas não basta praticar uma atividade física durante um mês ou dois, mas durante toda a vida. A saúde é um fator que podemos controlar prevenindo o surgimento de algumas doenças na velhice. Quando nascemos recebemos um corpo saudável e temos o dever de cuidar e zelar por ele, mesmo porque só temos esse corpo, diferente do carro quando chega a uma certa km podemos trocar.

Confira o vídeo abaixo e reflita: o que você está fazendo por você?

Jailton Bonelli
Professor de Musculação da ADHering
CREF 2426-G/SC



























 

A funcionalidade após os 40 anos

Publicado em 24 de abril de 2018



O treinamento resistido com pesos pode ser uma ótima opção para pessoas com mais de 40 anos, principalmente quando pensamos em manter ou resgatar a funcionalidade desse público. Movimentos utilizados no cotidiano são trabalhados com objetivo de buscar um maior nível de autonomia em suas atividades diárias.
Empurrar um móvel em casa, sentar e levantar várias vezes do sofá e pegar objetos no chão ou em lugares mais altos são exemplos de atividades diárias que demandam muita energia.
 
Os alongamentos também são parte importante do treino com o objetivo de melhorar a postura e conseguir realizar movimentos mais seguros e eficientes. Uma vez que algum grupo muscular está severamente encurtado, toda uma movimentação global do corpo acaba sendo comprometida, resultando muitas vezes em movimentos tecnicamente mal realizados, aumentando a chance de provocar uma lesão ou a ineficiência de determinados exercícios.

A Musculação é uma modalidade que ajudará de forma direta esse público, assim como todas as pessoas que tenham alguma mobilidade reduzida ou restrição clínica, sempre haverá um treino adaptado e individualizado para otimizar o alcance de seus objetivos. A segurança nos movimentos do cotidiano sem dúvida aumenta, podendo proporcionar mais qualidade de vida, bem estar e saúde à pessoa que se dedica a modalidade.

Diego Kraus
Professor de Musculação e Natação da ADHering
CREF 020769-G/SC



Rua General Osório, 2.170
Blumenau - SC - 89041-002
(47) 3325-1645
(47) 98413-7633 (VIVO)

REDES SOCIAIS

Participe das redes sociais do Clube ADHering!

Facebook Instagran

ATUALIZE SEUS DADOS

Com seu contato atualizado é possível receber os informativos do clube sobre atividades, eventos e situações financeiras.

OK
Copyright © 1999 - 2018. Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela FVSOLUÇÕES