Blog

Dança para quem não dança

 AD Hering
 14/08/2019
Se você ainda não dança, mas bate o pezinho quando a música começa a tocar, confira nas dicas que a prof. Mel trouxe para nosso Clube de Ideias!

Todos os dias, pelo menos uma das frases abaixo é dita na sala de Ginástica:
• Eu tenho dois pés esquerdos!
• Não consigo dançar!
• Quando a professora vai para um lado, eu vou para o outro!

Se você se identifica com alguma delas, fique tranquilo, porque a dança está ao alcance de todos, alguns têm mais facilidade do que outros, mas com persistência todos conseguem!

A dança é mais do que um exercício físico, faz bem para o corpo:
• Ganhe flexibilidade
• Melhore seu equilíbrio
• Melhore sua coordenação motora
• Aumente sua capacidade respiratória

Faz bem para o psicológico:
• Faça novos amigos
• Elimine o estresse
• Melhore sua autoestima
• Tenha mais disposição

Dica de amiga: nas aulas de Master Ritmos você vai aprender a dançar “do zero”. As aulas respeitam o tempo de aprendizagem de cada aluno, com músicas que fazem e fizeram sucesso. Uma aula para todos os gostos!
Quer saber? Dance para se movimentar, dance para se divertir, dance para se exercitar, apenas dance!

E lembre-se: não se preocupe com os passos e divirta-se!

Faça as Pazes com a Comida

 AD Hering
 07/08/2019
Se você pudesse ter uma melhor relação com a comida? Uma relação de amizade mesmo, e não de dependência ou medo de comer. Não seria bom? Uma relação ruim com o alimento só tende a trazer prejuízos à saúde e pode ser o grande motivo pelo qual você talvez não tenha conseguido atingir seus resultados até hoje, seja emagrecimento ou ganho de massa.

Como mudar? Observe-se mais, escute seu corpo, aprenda os sinais que ele te dá, e equilibre sua mente e seus pensamentos. Trabalhe ainda alguns pontos importantes:

• Não faça restrições extremas e nem deixe de consumir algo que goste muito. Trabalhe na frequência desse consumo.

• Observe se sua fome é verdadeira ou se está comendo para “aliviar” outros sentimentos como ansiedade, stress etc. Não desconte tudo na comida.

• Não busque fazer tudo perfeito, mas queira melhorar sua alimentação a cada dia.

• Tenha metas realistas e alcançáveis. Que tal colocar uma meta pequena para ser cumprida por semana? Isso ajuda a visualizar a mudança acontecendo.

• Evite rotular alimentos entre bons e ruins. Temos alimentos que nos nutrem e outros que nos intoxicam. É mais importante consumir em maior quantidade o que nos nutre, do que excluir totalmente o que nos intoxica.

• Não tenha medo de nenhum alimento, alimentação é nutrição e também é prazer, por isso procure sempre o equilíbrio.

• Não se culpe pelos erros e tropeços, pois todos que atingiram o sucesso também falharam. Porém procure entender e trabalhar os gatilhos que te fazem comer demais ou de forma ruim.

• Não faça dietas radicais e restritas após exageros, apenas retome a sua rotina de hábitos saudáveis.

• Não queira resultados imediatos.

• Mude seu foco de pensamento, pare de pensar em comida 24 horas por dia. Tem tanta coisa boa para se fazer e aproveitar nessa vida.

• Errou? Levanta e recomeça! Não se autosabote com pensamentos do tipo “agora já foi”, “já que comi errado antes, não tem diferença fazer o certo agora” ou “na segunda-feira eu recomeço”.
 
Garanto que tudo isso é possível, basta querer e ter força de vontade para persistir.
Mudar hábitos não é algo simples, mas é transformador!
Menos compulsão e mais consciência alimentar, é o que desejo pra você!

Saúde além da Balança: a diferença entre Peso e composição corporal

 AD Hering
 25/07/2019
E aí, com qual frequência você se pesa? O prof. Peterson, da musculação, trouxe uma ideia bem bacana especialmente pra você, que sobe todo dia na balança. Dá uma olhada:

Na sala de musculação é comum ouvir as queixas de quem se pesa com muita frequência. Isso porque é difícil notar os resultados em tão pouco tempo.
O caminho para o emagrecimento é longo, cheio de altos e baixos. Mas não se engane subindo na balança depois do treino, o peso perdido pode ser líquido e não gordura.

Agora vamos aos tipos de avaliações:

• Balança convencional:
Quando você sobe em uma balança convencional, o peso apresentado nela representa a soma de tudo que você é: massa muscular, ossos, líquido e gordura, mas ela não tem a capacidade de diferenciar a quantidade de cada item, por isso, ela não é uma boa forma de verificar se houve evolução. Fique de olho, o seu peso vai além desta balança.

• Balança de Bioimpedância:
Ela apresenta todos os dados de forma separada. Ao subir neste tipo de balança, você vai saber seu qual seu peso dividido em: gordura, massa muscular, líquido e peso ósseo.


• Antropometria:
A avaliação antropométrica costuma ser muito precisa nos resultados, e é com ela que você vai conhecer cada região do seu corpo, qual teve maior evolução e qual você precisa dar mais atenção.


Mas por que tudo isso interessa?

Do ponto de vista estético, quanto mais gordura você tem, menos definição muscular (e vice-versa).
Do ponto de vista da saúde, o excesso de gordura é um fator de risco para o aparecimento de diversas doenças, como problemas cardíacos, diabetes, hipotireoidismo, e pode agravar outras condições como hérnias de disco, artroses de joelho e quadril e até problemas respiratórios.

Dica de ouro:
Mais importante do que saber do seu peso, é agir! As avaliações servem como base para você traçar seus objetivos juntos com seu professor.

Musculação na Melhor Idade

 AD Hering
 19/07/2019
Você acha que musculação é só para ganhar músculos e ficar em forma? Não mesmo! É muito mais que isso, dá uma olhada no que o prof. Diego trouxe para o nosso Clube de Ideias:

O envelhecimento não é uma chave que liga em nosso corpo, nem acontece da noite para o dia. São alterações que acontecem progressivamente no nosso corpo. As principais alterações são:

• Músculos: acontece uma redução das fibras elásticas, o que deixa os movimentos mais lentos e em caso de queda, o corpo demora a responder ao reflexo, por exemplo.
Com o passar dos anos, as fibras ficam menores e podemos perder até 40% delas, se comparado a adultos jovens.

• Coordenação motora: a neurodegeneração é um fator que leva a prejuízos funcionais no controle do músculo, comprometendo a coordenação e a força. Por isso, os movimentos ficam mais lentos e o tempo entre “pensar e executar” fica mais demorado.

Por isso é tão importante estimular a força muscular para prevenir ou retardar todos esses processos. A prática da musculação promove inúmeros benefícios cardiovasculares (coração), respiratórios (pulmão) e musculares que melhoram a qualidade de vida de forma geral.



 

Dicas da Nutri Luana

 AD Hering
 03/07/2019
O que comer no pré e pós treino?

Você também tem essa dúvida? Calma, a nutricionista Luana Effiting tem dicas valiosas de alimentos para comer antes e depois do treino.
Como tudo na nutrição, DEPENDE do seu objetivo: quer emagrecer? Quer manter o peso? Quer ganhar músculos e definição? Que horas você treina?

Cada caso é um caso. Mas de forma geral, é importante que antes do treino você forneça ao seu corpo uma fonte de energia e após o treino um bom suporte para reconstrução muscular. Por isso, pode-se seguir estas estratégias:

PRÉ TREINO
Antes de treinar, forneça energia para o seu corpo, aposte nos carboidratos: raízes (batata, aipim), frutas, cereais (aveia, arroz, pão) ou tapioca.
Caso você tenha um período maior entre a refeição até o momento do treino, adicione ainda uma boa fonte de proteína (carne, ovo) e de gordura (castanha, azeite, abacate, coco).
Caso você coma logo antes do treino, procure apenas o carboidrato.

PÓS TREINO
Depois de treinar, é importante ofertar uma fonte de proteína, que é o nosso principal nutriente para reconstrução muscular. Exemplos: carne, ovos ou suplemento proteico (whey protein, proteína vegetal, beef protein).
Se você deseja emagrecer não é necessário que o consumo seja imediatamente após o treino e nem precisa comer nada além da proteína.
Para ganhar massa muscular (hipertrofia), você pode associar um bom carboidrato também após o treino. Neste caso a refeição pode ser mais próxima do final do treino (mas não há a necessidade de sair da academia já batendo o shake, eim!).

Agora sim, mais energia para treinar e mais resultados pra você! Bons treinos!

Xô Celulite!

 AD Hering
 27/06/2019
A celulite incomoda muita gente! O aparecimento tem a ver com a genética, sim, mas tem muito mais a ver com nossos hábitos e estilo de vida.

Alguns fatores que favorecem o aparecimento da celulite: excesso de peso, elevados níveis de estrogênio, resistência à insulina, disbiose intestinal, excesso de sódio e cafeína e baixa ingestão de água.

A nossa nutricionista, Luana Effting, preparou super dicas para reduzir ou até mesmo eliminar a celulite!

• Diminua o percentual de gordura corporal. Diminuir o tamanho da célula de gordura e a compressão que ela faz sobre o tecido linfático, é o primeiro passo.

• Inclua mais nutrientes como zinco (carnes e sementes), vitamina C (cítricos, morango, tomate), ácido elágico (frutas vermelhas), resveratrol (jaboticaba, uva), crisina (maracujá) e flavonoides (chá verde, alho, maçã).

• Reduza o consumo de alimentos refinados como farinhas e açúcares. Eles geram uma liberação maior de insulina que é um hormônio que armazena gordura.

• Cuide do seu intestino! E isso não tem a ver apenas com ir ao banheiro todos os dias, eim! Um bom intestino reduz inflamação, elimina toxinas e melhora a destoxificação.

• Reduza o consumo de sódio e alimentos industrializados. Invista em temperos naturais e adicione sal em quantidade moderada nas preparações.

• Inclua alimentos fontes de vitamina C e um adequado consumo de proteína para uma melhor síntese do colágeno.

• Beba muita água e inclua chás (hibisco, cavalinha, centella asiática) para melhorar a circulação.

• Faça exercício físico regularmente, principalmente visando força e volume muscular (como a musculação).

Bora aproveitar o inverno para começar e arrasar no verão!

Mais Motivação para os Treinos! Capriche na Playlist

 AD Hering
 19/06/2019
Se liga na ideia do prof. Peterson:
Você sabia que a música pode ser uma grande aliada nos seus treinos? Mais do embalar as passadas da corrida, a música certa pode melhorar o seu rendimento em até 15%!

Esse foi o tema do estudo feito em 2013 pelo pesquisador Costas Karageorghis, um dos maiores nomes no estudo da psicologia da música no exercício.

Os resultados mostraram que a música funciona como um metrônomo, ajudando as pessoas a manter o ritmo constante, reduzindo passos em falso e gastos energéticos desnecessários. Mas não é só isso:

Karageorghis mostrou em seu estudo que playlists com pop e rock aumentaram a resistência de corredores em até 15%! Os voluntários corredores também ficaram mais motivados e positivos para aguentar o treino pesado, mesmo beirando a exaustão física.

Agora a dica de ouro: na Radio da Academia, você que escolhe a playlist. É só acessar naradio.com.br, deixar a localização do seu celular ativada e escolher a próxima música! Coloca sua música favorita e #foconotreino

7 Dicas Para Se Livrar Da Compulsão Alimentar

 AD Hering
 05/06/2019
A nutricionista Luana Effting preparou dicas de atitudes para acabar com a Compulsão Alimentar. Boa leitura!

1. EVITE BELISCAR
Quando beliscamos não prestamos atenção no ato de comer. Estabeleça horários para suas refeições, sente e coma com calma!

2. AFASTE-SE DO OBJETO DA SUA COMPULSÃO
Fique um tempo sem comer o alimento que é a sua maior tentação, retire o vício. Caso não consiga ficar sem, estipule uma frequência para o consumo.

3. BUSQUE OUTRAS FONTES DE PRAZER
Busque alternativas para se distrair: leia livros, veja filmes, escute músicas, passeie com o cachorro.

4. BEBA MAIS ÁGUA DURANTE O DIA
É comum confundir sede com fome. Muitas vezes achamos que estamos com fome, enquanto na verdade estamos com sede!

5. EVITE DIETAS MUITO RESTRITIVAS
Equilíbrio sempre! Não corte carboidratos, gorduras ou doces de uma vez. Cuidado, nenhum alimento é proibido, encontre a nutrição que mais combina com você.

6. NÃO FIQUE MUITO TEMPO SEM COMER
Quanto mais tempo sem comer (mais de 4 horas), maior a fome fica!

7. BUSQUE CONHECER A SI MESMO
Busque o autoconhecimento! Aproxime-se de você, da sua consciência, busque o domínio das suas próprias atitudes para que consiga se livrar da compulsão alimentar e reduzir a ansiedade. Converse com amigos, frequente sua religião, medite ou crie o habito da leitura, por exemplo.