Blog

O Esporte e o Autismo

 AD Hering
 30/10/2019
A professora Débora preparou um texto muito especial para o Clube de Ideias desta semana. Confira:

Primeiramente, o que é autismo? Autismo é distúrbio neurológico que compromete a interação social, comunicação verbal e não verbal e possui um comportamento repetitivo e restritivo. Muitos também possuem dificuldades na coordenação motora. Algumas crianças se desenvolvem normalmente e, em uma certa fase, regridem; outras já apresentam sinais desde cedo.

O esporte ajuda muito no desenvolvimento do autista e são inúmeras as opções para praticar! Os pais precisam achar algum esporte que a criança se identifique e se adapte. Em alguns casos, a criança precisará de algumas aulas individuais, para poder se adaptar ao professor e criar confiança, com isso o professor também a conhecerá e conseguirá conduzir a sua atividade da melhor maneira. Cada criança tem suas individualidades, e o professor irá trabalhar para estimular o que ela gosta de fazer e já sabe, e irá desenvolver outras habilidades.

Após estar adaptado, ele pode ser inserido em turmas maiores para aumentar o convívio social.

Como sou professora de natação, falarei um pouco da minha vivência com eles.

A natação é incrível para o desenvolvimento do autista!
• Trabalha a autoconfiança, coordenação motora, equilíbrio e lateralidade;
• Fortalecimento do cardiorrespiratório, membros superiores e inferiores, tônus, core;
• Desenvolve a parte motora e social;
• Ganho de confiança através de vivencias novas;
• Ajuda a desenvolver a orientação espacial e corporal;
• Possui um efeito relaxante melhorando a qualidade de vida do autista e da família;
• Diminui o risco de afogamento.



Já tive o privilégio de trabalhar com algumas crianças autistas, cada uma tem um jeitinho diferente, por isso ao conduzir a aula é preciso passar confiança para ela e observar o que prende mais a sua atenção, somente a partir daí é possível criar um planejamento da aula.

Com a criança adaptada e confiando no seu professor as aulas começam a fluir! Mas cada dia é um novo desafio, muitas vezes ela vem agitada e não será possível aplicar a aula planejada, por isso importante ter um “plano B”, paciência para entender e respeitar o tempo do aluno. O objetivo é fazer com que a criança saia da aula feliz e mais tranquila.

E claro, o diálogo com os pais é indispensável para o desenvolvimento saudável dos pequenos.

Conheça mais sobre o Autismo

 AD Hering
 24/10/2019
Cada tipo de Autismo apresenta uma intensidade e maneiras diferentes de se manifestar
O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) classifica o Espectro Autista em 3 tipos:


1) SÍNDROME DE ASPERGER
A Síndrome de Asperger é considerada o autismo leve, ou seja, é a forma mais branda do espectro autista. Ela se diferencia do autismo clássico por não exibir qualquer atraso de linguagem significativa ou prejuízos.

Esse tipo de autismo tem algumas características marcantes:
• excepcionais habilidades verbais
• problemas com simbologias e com interações sociais
• comportamento obsessivo em alguns interesses
• apresentam inteligência acima da média

2) TRANSTORNO INVASIVO DO DESENVOLVIMENTO
Pessoas que são diagnosticadas com o Transtorno Invasivo do Desenvolvimento, dentro do espectro autista, são aquelas que têm um grau de autismo um pouco mais grave do que a Síndrome de Asperger e mais leve do que o transtorno autista.

Quem tem esse tipo de transtorno pode apresentar diferentes sintomas, mas os mais comuns são:
• interação social prejudicada
• competência linguística superior ao transtorno autista, mas inferior a Síndrome de Asperger
• menos comportamentos repetitivos.

3) TRANSTORNO AUTISTA
O transtorno autista abrange todas as crianças e adultos que apresentam sintomas mais graves do que os manifestados nos outros tipos de autismo. Nesse caso, a capacidade social, cognitiva e linguística é bastante afetada, além de terem comportamentos repetitivos em grande intensidade.

Esse grau do espectro autista normalmente é diagnosticado antes dos três anos de idade e ele pode ser identificado por meio de alguns sinais como:
• desenvolvimento atrasado da linguagem atrasada
• dificuldade em fazer pedidos usando a linguagem
• falta de contato com os olhos quando se fala e auto estimulação comportamento como balançar ou bater as mãos

Você tem mais dúvidas ou curiosidade sobre o Autismo? Então, fique de olho, pois no dia 05 de novembro teremos uma palestra sobre o tema com a AMA (Associação de Pais e Amigos do Autista).

Conheça a CSA e alimente-se de orgânicos

 AD Hering
 16/10/2019
Já ouviu falar em CSA?
A CSA (Comunidade que Sustenta a Agricultura) se trata de uma nova forma de relação entre agricultores e consumidores. Nela os consumidores se comprometem a pagar um valor fixo a um agricultor, que disponibilizará semanalmente uma variedade de alimentos orgânicos. A ideia é que o agricultor tenha uma renda fixa, podendo focar apenas na produção de alimentos e eliminar os esforços para a comercialização em mercados e feiras.

Funciona mais ou menos assim:
  1. Levanta-se o custo anual da produção agrícola deste agricultor.
  2. Este custo é dividido entre os consumidores interessados em fazer o financiamento.
  3. Semanalmente, aquilo que estiver disponível (conforme safra, região e condições climáticas) é ofertado aos consumidores. Eles fazem a retirada destes alimentos em pontos de entrega específicos.
A ideia central da CSA é fornecer uma garantia de consumo dos alimentos plantados e colhidos, gerando menos desperdício e uma segurança maior ao agricultor.

Quer saber mais sobre o projeto? Visite o instagram da CSA Blumenau @csablumenau ou envie um e-mail para csablumenau@gmail.com

Fazer a diferença está em nossas mãos

 AD Hering
 09/10/2019
Você sabia que o Brasil desperdiça cerca de 35% da sua produção agrícola? Somos um dos 10 países que mais desperdiçam alimentos no mundo!

E mais, 60% do lixo doméstico brasileiro é composto por restos de comida e sobras, sendo o descarte de partes comestíveis de vegetais o equivalente de 20 a 30%.



Mas fazer a diferença está em nossas mãos e podemos mudar isso, começando dentro de casa com atitudes simples! Comprometa-se com você e com o planeta:

• Não compre e nem prepare comida em excesso;
• Aproveite as folhas e talos dos vegetais para usar em omeletes, refogados com carnes, recheio de tortas e em cremes e sopas;
• Não retire a casca de frutas que são possíveis de serem consumidas (como maçã, goiaba, tomate, pera), ali estão a maior parte das fibras, tão importantes para o adequado funcionamento intestinal;
• Aproveite cascas que não são comestíveis para fazer chá (ex.: casca de abacaxi);
• Caso tenha alimentos em excesso e quase estragando, separe em porções e congele. Você pode fazer isso com frutas que estão “passando do ponto”, com folhas e temperos. Além de não desperdiçar, deixa super prático para o dia a dia;
• Além disso tudo, as partes não aproveitáveis podem ser utilizadas para fazer compostagem e servir de adubo posteriormente. Hoje existem composteiras prontas para comprar, que cabem tranquilamente em casas e apartamentos.

O mundo melhor depende de cada um de nós! E sim, parece uma pequena mudança, mas faz toda a diferença!

Boas escolhas fazem a diferença

 AD Hering
 27/09/2019
Hoje, a nossa nutricionista Luana Effting trouxe muitas questões para repensamos sobre nossas atitudes e escolhas na alimentação.

Sabia que o que não comemos também faz diferença em nosso corpo?

Já reparou que estamos muito preocupados com o que vamos excluir da alimentação e nem lembramos do que precisamos incluir? Talvez esse seja um dos maiores problemas para não alcançarmos nossos objetivos.

Ouvimos tanto “arroz branco não pode”, “trigo faz mal", “leite só sem lactose” e “industrializados nunca mais”, mas será que estamos lembrando de incluir as sementes, os condimentos, as folhas verde escuras, boas fontes de gordura e proteína, a variedade de legumes e tantos outros ingredientes "que fazem bem" na nossa alimentação?

O funcionamento adequado do organismo depende de NUTRIENTES, que muitas vezes não estamos incluindo no prato! Então, vamos encher nosso prato e nosso corpo focando nos benefícios e não no que faz mal.

E aí? Vamos incluir ao invés de excluir?

Não é tão leve como muitos pensam!

 AD Hering
 19/09/2019
Resumidamente, a hidroginástica é uma ginástica dentro da piscina. Nas aulas, você não usa halteres e pesos, mas é a resistência da água que dá a ‘carga’ ao exercício. Acredite, é possível suar dentro da água!

Os exercícios dentro da água desenvolvem os músculos, melhoram a amplitude das articulações, aliviam dores, e o melhor, tudo isso de forma divertida! :)



Alguns benefícios da hidroginástica:
• Melhora do sistema cardiorrespiratório
• Alta queima calórica, o que ajuda a emagrecer
• Melhora do condicionamento físico
• Desenvolve a resistência muscular
• Aumenta a amplitude das articulações
• As articulações sofrem mínimo de impacto
• Alivia dores na coluna vertebral
• Alivia as tensões e o stress do dia a dia e ajuda a relaxar
• Ativa a circulação
• Melhora a postura
• Bem-estar físico e psicológico

Os benefícios vão longe! Como estamos dentro da água, a flutuação facilita na execução dos movimentos, diminuindo o risco de lesões.



E olha só que bacana, todo mundo pode fazer hidroginástica, até mesmo gestantes! Os nossos professores vão adaptar a aula de acordo com o aluno, sem perder o objetivo proposto.

Ficou interessado? Venha fazer uma aula experimental! Você vai amar!

Você lê os rótulos?

 AD Hering
 28/08/2019
Na hora de comprar, você costuma ler os rótulos? Será que você sabe, mesmo, o que está comprando?

Muita gente acha que o mais importante é ver quantas calorias, gordura ou sódio tem um produto. E até pode ser, mas antes disso verifique sempre a LISTA DE INGREDIENTES.

Tem uma regrinha simples, que dá certo na maioria das vezes: quanto menor a lista de ingredientes e quanto mais nomes conhecidos, melhor é o produto. Essa lista traz em ordem decrescente os ingredientes contidos no produto, ou seja, do que está em maior, para o que está em menor quantidade.

Cuidado, pois o açúcar pode estar escondido na forma de xarope, glicose, maltodextrina, sacarose, lactose, dextrose, amido, néctar... E as gorduras hidrogenadas e de palma também não são nada interessantes. Fuja daqueles produtos com “antes”: corantes, aromatizantes, conservantes, acidulantes, estabilizantes.

Dica de ouro: Procure por produtos que a sua avó reconheceria como alimento! Pois o melhor mesmo é não ter lista de ingredientes. Frutas, verduras, legumes, turbérculos, carnes, ovos e castanhas são assim: livres de rótulos!

Boas compras!

O Sono e se Efeito Regulador

 AD Hering
 23/08/2019
O professor Alexandre Walter, da musculação, questiona: como está seu sono?

Uma boa noite de sono é essencial, não apenas para ficar acordado no dia seguinte, mas para manter a saúde, melhorar a qualidade de vida e até aumentar a longevidade.

Sabe aquela sensação de fome que você tem no dia após uma noite mal dormida? Não é fome! É a forma que o seu cérebro interpreta o cansaço que você sente no decorrer do dia. Nessa hora é o seu cérebro querendo dizer: isso é falta de energia. Então, isso confunde seus sistemas de tomada de decisão e, quando você vê comida pela frente, você come! Ou ainda, come de pouquinho em pouquinho e fica beliscando o dia inteiro. Cuidado, assim você pode fazer escolhas pobres em nutrientes (biscoitinhos, doces, frituras), em busca de um lanchinho rápido.

Então, o fato de estar com sono acaba sendo um motivador para um descontrole na alimentação por dois motivos: primeiro, pela percepção de cansaço e falta de energia; e segundo, por uma sensação de que a fome não passa, devido ao desequilíbrio do nosso relógio biológico.

Quanto aos seus treinos, se você não descansou bem, não terá o mesmo rendimento.

Quem já tentou treinar depois de uma noite mal dormida? O que aconteceu? O treino foi péssimo! Nessa hora, o seu professor conseguirá lhe orientar. Mas de modo geral, para não agredir o seu corpo, procure praticar um aeróbico de baixa intensidade, de curta a média duração. Isso irá fazer você se sentir bem.

Se você desejar fazer musculação, que seja de curta duração. Exercite grupos musculares pequenos com o treino de 30 minutos, no total. Assim, seu corpo irá tolerar e até irá ajudar no seu descanso.

Portanto pessoal, levem a sério o assunto sono, podem ter certeza que ele é determinante para vocês alcançarem seus objetivos!

Dança para quem não dança

 AD Hering
 14/08/2019
Se você ainda não dança, mas bate o pezinho quando a música começa a tocar, confira nas dicas que a prof. Mel trouxe para nosso Clube de Ideias!

Todos os dias, pelo menos uma das frases abaixo é dita na sala de Ginástica:
• Eu tenho dois pés esquerdos!
• Não consigo dançar!
• Quando a professora vai para um lado, eu vou para o outro!

Se você se identifica com alguma delas, fique tranquilo, porque a dança está ao alcance de todos, alguns têm mais facilidade do que outros, mas com persistência todos conseguem!

A dança é mais do que um exercício físico, faz bem para o corpo:
• Ganhe flexibilidade
• Melhore seu equilíbrio
• Melhore sua coordenação motora
• Aumente sua capacidade respiratória

Faz bem para o psicológico:
• Faça novos amigos
• Elimine o estresse
• Melhore sua autoestima
• Tenha mais disposição

Dica de amiga: nas aulas de Master Ritmos você vai aprender a dançar “do zero”. As aulas respeitam o tempo de aprendizagem de cada aluno, com músicas que fazem e fizeram sucesso. Uma aula para todos os gostos!
Quer saber? Dance para se movimentar, dance para se divertir, dance para se exercitar, apenas dance!

E lembre-se: não se preocupe com os passos e divirta-se!

Faça as Pazes com a Comida

 AD Hering
 07/08/2019
Se você pudesse ter uma melhor relação com a comida? Uma relação de amizade mesmo, e não de dependência ou medo de comer. Não seria bom? Uma relação ruim com o alimento só tende a trazer prejuízos à saúde e pode ser o grande motivo pelo qual você talvez não tenha conseguido atingir seus resultados até hoje, seja emagrecimento ou ganho de massa.

Como mudar? Observe-se mais, escute seu corpo, aprenda os sinais que ele te dá, e equilibre sua mente e seus pensamentos. Trabalhe ainda alguns pontos importantes:

• Não faça restrições extremas e nem deixe de consumir algo que goste muito. Trabalhe na frequência desse consumo.

• Observe se sua fome é verdadeira ou se está comendo para “aliviar” outros sentimentos como ansiedade, stress etc. Não desconte tudo na comida.

• Não busque fazer tudo perfeito, mas queira melhorar sua alimentação a cada dia.

• Tenha metas realistas e alcançáveis. Que tal colocar uma meta pequena para ser cumprida por semana? Isso ajuda a visualizar a mudança acontecendo.

• Evite rotular alimentos entre bons e ruins. Temos alimentos que nos nutrem e outros que nos intoxicam. É mais importante consumir em maior quantidade o que nos nutre, do que excluir totalmente o que nos intoxica.

• Não tenha medo de nenhum alimento, alimentação é nutrição e também é prazer, por isso procure sempre o equilíbrio.

• Não se culpe pelos erros e tropeços, pois todos que atingiram o sucesso também falharam. Porém procure entender e trabalhar os gatilhos que te fazem comer demais ou de forma ruim.

• Não faça dietas radicais e restritas após exageros, apenas retome a sua rotina de hábitos saudáveis.

• Não queira resultados imediatos.

• Mude seu foco de pensamento, pare de pensar em comida 24 horas por dia. Tem tanta coisa boa para se fazer e aproveitar nessa vida.

• Errou? Levanta e recomeça! Não se autosabote com pensamentos do tipo “agora já foi”, “já que comi errado antes, não tem diferença fazer o certo agora” ou “na segunda-feira eu recomeço”.
 
Garanto que tudo isso é possível, basta querer e ter força de vontade para persistir.
Mudar hábitos não é algo simples, mas é transformador!
Menos compulsão e mais consciência alimentar, é o que desejo pra você!